Princípios Filosóficos

       Princípios filosóficos e teórico-metodológicos gerais que norteiam as práticas acadêmicas da Instituição

       A Universidade de Itaúna tem sua filosofia institucional alicerçada:

                I.   na igualdade entre os homens, independentemente de nacionalidade, sexo, raça ou credo;

              II.   no respeito aos direitos humanos e, entre eles, o direito à educação, à instrução e à formação profissional;

             III.   nos princípios de liberdade e de solidariedade humana;

             IV.  na educação integral da pessoa humana;

             V.  nos valores de democracia;

             VI.  na proteção do meio ambiente.

       A educação que queremos na Universidade de Itaúna leva em conta as múltiplas dimensões da experiência humana, com vistas a capacitar o educando para lidar com o universo de informações a que está exposto, nem sempre eticamente construtivas. Trata-se, pois, de considerar o educando como sujeito de sua própria formação.

       Para isso, podemos e devemos explicitar a realidade que temos e a realidade que queremos construir, ou seja, tornar clara a concepção de homem íntegro e integral, que embasa nossos projetos pedagógicos.

      Possuindo um fundamento biológico, que o enraíza na natureza, o homem se explicita também na diversidade cultural.

       Multidimensional, o homem existe e se realiza nos níveis biológico, psíquico, social, afetivo e racional. Coexistem, ora em equilíbrio, ora em desequilíbrio, as dimensões somática, individual, econômica, política, sapiencial, erótica, estética, histórica, técnica e ética.

       Desse modo, o homem será adequadamente compreendido e educado se essas diversas dimensões antropológicas forem vistas com espírito conjuntivo e não disjuntivo, se contempladas com olhar de simultaneidade que mantenha a multidimensionalidade humana. Em resumo, à luz de uma educação transdisciplinar, pois o homem existe como totalidade para além dos recortes e fragmentações dos saberes científicos positivos de uma educação integral, porque, para o  ser humano integral, a educação é essencialmente “educação para a liberdade” e consequentemente, para a responsabilidade pessoal e coletiva.

       A multiplicidade de dimensões, deve-se frisar, forma uma unidade. O uno se expressa como múltiplo, a multiplicidade existe como uma unidade. O todo existe nas partes e estas expressam a totalidade-unidade do ser humano.

       A concepção filosófica da educação  acima descrita orienta a construção e a materialização dos projetos pedagógicos dos cursos,  através dos quais buscamos educar para as múltiplas competências e habilidades através de um currículo rico de experiências concretas e atividades complementares.

       Orienta-se para o protagonismo do educando em todas as suas faces, possibilitando seu desenvolvimento e autonomia, como realização pessoal e serviço à comunidade, em consonância com a missão  de transformação social e dos valores da cidadania solidária e participativa.

       Reconhecemos a riqueza da razão humana, sem que nos esqueçamos de seus limites internos e de sua possibilidade de cair no erro e na intolerância. Por isso, cultiva-se sempre uma firme decisão pelo conhecimento racional contra as mistificações e massificações, aliada a uma cultura da compreensão humana como abertura ao outro e à diversidade, mediada pelo diálogo esclarecedor e compartilhamento de decisões.